Friday, September 19, 2008

A FIGUEIRA


Há muitos, muitos anos, Nossa Senhora ia mais S. José a fugir para o Egipto para livrar o menino Jesus da morte.
A certa altura da viagem, passaram por um lugar e avistaram um grupo de ladrões que andavam em busca do Menino. Como havia ali uma figueira, esconderam-se muito bem debaixo dos seus ramos e das suas folhas, até que os malfeitores desapareceram. Depois seguiram caminho em paz, mas nossa Senhora abençoou a figueira e disse que ela havia de ser uma árvore especial, que havia de dar fruto sem dar flor.
E ainda hoje assim acontece.

Contos Tradicionais Açoreanos

Jacinto Medeiros, Vila do Porto, Santa Maria

Postado por: Fernandinha

Lisboa, 19 de Setembro de 2008
Posted by Picasa

8 comments:

poetaeusou . . . said...

*
figos,
do meu contentamento,
,
jinos
,
*

gaivota said...

a minha tia Mima, das Lajes encantava-nos com estes contos... e ela encantava-se nas recordações da sua meninice...
já lá vão tantos anos...obrigada por ma fazeres recordar!
beijinhos e todo o carinho

xistosa - (josé torres) said...

São sempre belos os contos populares.

Este conto fez-me lembrar a meninice, onde vi amarrar figos de outras figueiras, numa enorme que existia no terreno.
Lembro-me de ouvir dizer que era para a figueira dar figos.
Eram serôdios, (tardios), mas a verdade é que a figueira dava mesmo os figos.
Vou até tentar ler algo sobre isto.

Jorge P.G said...

Hoje vim aqui reflectir.

Mais um bonito conto tradicional dos Açores!
Boa divulgação deles fazes.

Um abraço do Sineiro.

Vivian said...

...tão gostoso quando ouvimos historinhas falando da vida de Jesus, não Fer?

e esta da figueira que abrigou a família sagrada, não seria diferente, sem pensar que o figo é uma fruta tão gostosa...madurinho, hummmm delíciaaaa!

bjs, minha linda...
obrigada pela visita lá em casa.

Multiolhares said...

Não conhecia este conto,
Estas histórias tradicionais que vão
Passando de geração em geração
São uma delicia
beijinhos

Alexandre said...

Ainda hoje estive empoleirado numa figueira a colher os últimos figos... já bastante danificados pela chuva... mas ainda deu para apanhar alguns!!!

Muitos beijinhos!!!

Zeca Portuga said...

Nunca fui aos Açores, mas já me sinto um bocadinho açoreano, porque me revejo nestes contos - já os ouvi a um familiar!

Parabéns por este cantinho!