Sunday, August 31, 2008

A PRINCESA DA ERVILHA

Um certo dia desencadeou-se um temporal medonho e uma princesa que andava a passear foi bater á porta do palácio a pedir abrigo. Tava encharcada pela chuva e não tinha ar de princesa.
O rei deixou-a entrar no palácio e mandou que lhe preparassem imediatamente uma cama quente e mole.
As aias foram dar-lhe banho e diziam:
- Como ela é bonita! É linda como uma verdadeira princesa!
Já há muito tempo que o filho do rei procurava uma noiva, mas ainda não tinha conseguido encontrar porque queria casar com uma verdadeira princesa. Ao ver aquela rapariga a quem o pai tinha dado hospedagem, começou a gostar muito dela, mas como poderia saber se era uma princesa de verdade?
- A rainha encontrou então a solução. Mandou pôr uma ervilha na cama da princesa e por cima muitas mantas e cobertores macios.
A princesa estava muito cansada e deitou-se naquela cama bem alta e fofa. Não conseguiu dormir porque a ervilha magoava-a tanto, tanto e, no dia seguinte, tinha o corpo cheio de nódoas negras.
- O príncipe teve a certeza de que tinha encontrado a sua verdadeira princesa e pediu-a dias depois em casamento. Casaram com o consentimento dos pais e foram muito felizes.

Contos Regionais dos Açores

Andreia Amaral, S. Miguel,
José Carlois Rapoiso, S. Miguel.

Postado por: Fernandinha

Lisboa, 31 de Agosto de 2008
Posted by Picasa

10 comments:

poetaeusou . . . said...

*
ernandinha
,
gostei
,
talvez gostasse mais
se fosse de favas
,
jinos
,
*

xistosa - (josé torres) said...

Então a ervilha era seca e devia ser de calibre especial, não aquelas mirradas que se v~em à venda, (no tempo certo), ou enlatadas.
Será que são princesas enlatadas?

Os contos tradicionais são isto mesmo, contos ...

Delfim peixoto said...

Vem numa dança ao meu baú

Mello said...

uma história muito bonita a princesa e a ervilha.

Linda foto da cidade luminosa.


Beijinhos,

Graça Mello

Cadinho RoCo said...

De uma simples ervilha podemos extrair muitas conclusções.
Cadinho RoCo

gaivota said...

minha querida, esta história traz-me à memória a minha tia da ilha do pico...
quase me fazia sonhar e sentir a ervilha debaixo dos lençóis...
mas o meu sangue não é azul...
és uma linda!
beijinhos

Jorge P.G said...

Há tanto tempo que não lia uma historinha com príncipes e princesas...
Que bem me soube esta!

Um abraço do Sineiro, Fernandinha.

Rafeiro Perfumado said...

Acampar estaria fora de questão, portanto...

São said...

Foi bom recordar a estória, que desconhecia ser açoriana.
E já estive no local fotografado, mas de dia.
Feliz semana, Fernandinha.

Mello said...

Olá, minha querida!

Vim ao teu blogue, para dizer-te que premeie-te com o selo "Dardos" e que gostava que o exibisses no teu espacinho, como prova da minha amizade.

Beijinhos,

Graça Mello