Thursday, April 17, 2008

QUANTO TE QUERO

Voar!...de voar tanto,
Me cansei.
Voando, voando, até que por fim voltei.
Aqui, onde Camões já disse:
Aqui, onde a terra acaba e o mar começa!
De que me valem as asas perante tanto mar?
Que o mar é medonho afoga a gente,
Afoga o sonho.
Ai, que não que o não transponho.
Antes sonhar toda a vida, morder o ar,
Morder um lírio e num suspiro
À madrugada poder dizer
Quanto te quero.


Fernanda

15 comments:

Rocket said...

morder

morder o ar....que maravilha!

um dos teus poemas que mais gostei

de que valem as asas perante tanto mar?

magnífico!

xistosa said...

Voltar e regressar ... que o mar é infindo pois começa aqui.

Ainda bem ... dei-se aquietar e fique por cá, criando belos momentos como este.
Bem haja!

Um bom fim de semana.

gaivota said...

voar voar e chegar, morder o lírio, suspirar e murmurar o quanto te quero...
que doçura!
fernandinha linda, beijinhos

C Valente said...

Quem me dera poder voar
Lindo
Saudações amigas

WILLIAM (Penso, Logo Escrevo...) said...

Parabens pelo blog...
É bom escontrar textos como os seus que nos dão prazer de lê-los.
Abraços,

Ju said...

"De que me valem as asas perante tanto mar?"
ma-ra-vi-lho-so. sem palavras.
beijos

São said...

Gostei muito, mas mesmo muito, deste teu poema.
Beijinhos para ti, Fernandinha!

Acordomar said...

Oi Fernandinha, o que nos consegues transmitir... Tt sentimento
Passa um b f semana
Beijinhos

anad said...

Bom blogue. Bons poemas.
Vou voltar.
Anad

Dias said...

Sabes que para mim é sempre "complicado" encontrar palavras para te deixar aos verbos, mas neste post é facil: adorei!

Beijo

Henriqueseis said...

Olá Tudo bem?Este poema está divinal.Como sei que gostas do meu blog, decidí convidar-te lêr mais uma nova História no meu blog do Mitos urbanos.Passa por lá e comenta porque esta história, é empolgante.

http://novos-mitos-urbanos.blogspot.com

Um Momento said...

Simplesmente BELO!
Desejo-te uma LINDA semana!

Beijo grande...te sopro no ar até a ti chegar:)

(*)

O Profeta said...

Na água tudo se perde
Lavas do rosto a desventura
Uma lágrima é simples gota
Perdida do mar da ternura


Bom feriado


Doce beijo

poetaeusou . . . said...

*
por onde andas ???
,
conchinhas,
,
*

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Fernadinha, belo poema é dos que mais gostei...Excelente !
Beijos