Sunday, August 05, 2007

ERA UMA VEZ

Era uma vez...
uma vez... a história fez
uma menina de tranças douradas,
com riso de céu e brilho de mar,
que o globo inteiro queria enlançar,
com suas maravilhas pintadas.

Não era uma menina vulgar...
Vinha lá de cima, do luar,
do sonho enorme do seu pequeno universo,
da nobreza de um mágico verso.

Poisou os pés na Terra.
Logo a ouvio lamentar.
Estava amedrontada. Estavam-na a matar.

Sem entristecer,
cortou um pouco da sua trança direita.
Ofereceu-a à Terra.
Esta, desconfiada,
pensava no que a petiz estaria a trambicar.
Mas, a menina, adivinhando o que ela
estava a pensar, acalmou-a:
-Nada tens a temer.
A outra, em palavras meias:
-Obrigada.
Com vozinha doce, a menina:
-Não ma agradeças.
Sei que estás a precisar!
Admirada, ainda duvidou.
Para que seria tamanha generosidade?
Perguntou:
-Serás um anjo do Céu?
Respoudeu:-Só o coração é do tamanho do céu.

A terra ficou desassombrada.
Sentia-se aliviada.
Exclamou:
-Obrigada, nobre menina!
Sem se envaidecer:
-Isso nada é.
Espalharei pedacinhos do meu ouro,
até nada ter.
Rejubilará no Homem vindouro.
O cabelo volta a crescar!


Fernanda

2 comments:

poetaeusou said...

*
com riso de céu e brilho de mar,
*
jino
*

Fernanda e Poemas said...

Poeta, mar e Céu, não achas que o merecemos?

BJS

Fernandinha