Saturday, May 10, 2008

MOINHOS DE VENTO

Os moinhos de vento da ilha do Faial
Apresentam influências portuguesas e flamengas.
São moinhos fixos ou giratórios, de dois pisos.
O piso inferior é construído em paredes
De alvenaria.

O piso superior, onde se encontra o equipamento de
Moer, é de madeira.
Estes moinhos são rematados por uma cúpula
Cónica, de onde sai o mastro que separa as velas
De madeira, que prendem os panos.
Os moinhos de vento do Faial apresentam dois sistemas
De varas diferentes.

Os moinhos do “ sistema português “ ( Kruger ) tem um
Sistema de oito varas, que entram no grande eixo do
Moinho, onde se atam as 4 quatro velas triangulares
( vela latina ), cada uma segurada entre duas varas.

Os outros moinhos existentes na ilha apresentam quatro
Asas rectangulares, onde se colocam as quatro velas,
Também rectangulares. Esta estrutura corresponde à
Dos moinhos flamengos, que ainda hoje se podem
Observar na Holanda e na Bélgica – seja nos moinhos
De pedra com tecto móvel, seja nos moinhos de madeira,
Giratórios sobre o eixo principal.

As velas e toda a estrutura da base de apoio da cúpula
Podem ser manobrados e deslocados lateralmente,
Virando sobre um eixo vertical de madeira, através do
“ rabo “ do moinho, no sentido de maximizar o aproveitamento
Da força motriz do vento.

Na ilha do Faial existem 38 moinhos de vento inventariados e,
Deles, 10 estão classificados como imóveis de interesse público.


Fernanda,
Lisboa,10 de Maio de 2008

11 comments:

gaivota said...

pois é verdade minha querida amiga, daí até me terem dito, aí na tua ilha, uma conterrânea tua, que os holandeses chegaram primeiro que nós ao faial, daí os moinhos serem idênticos aos holandeses...
beijinhos grandes

Jorge P.G said...

Não sabia NADA sobre os moinhos de vento do Faial e muito pouco sobre outros quaisquer.

Agora, quando olhar para um, vou lembrar-me do que aqui li.
Muito interessante!
Obrigado.

Um abraço.
Jorge P.G.

Deusa Odoya said...

Fernanda, que bom essa escrita sobre moinhos, um aprendizado para que ler seu execelente texto.

Linkei seus blogs ao meu.

bjinhos
Deusa Odoya

xistosa said...

Nem só de pão nos podemos alimentar.
Há uns anos li algures que tinham sido os holandeses que levaram os moinhos para os Açores.
Portanto já lá estavam ou tinham estado antes de nós.
Uma lição de coisas que estão a acabar, mesmo conservados, nunca mais moerão.
Não podemos ser saudosistas ... há uns anos a esperança de vida pouco passava dos 50/60 anos, se se mantivesse, hoje, eu, poderia não estar aqui ...

Rocket said...

não gostarias de ter um...deve ser uma delícia...

Rocket said...

...beijinhos grandes

Ana Maria said...

Navegando , te encontrei através
do Zé Carlos. Li textos reflexivos,
e virei mais vezes.
Interessante os moinhos de vento.
Aguardo vc nos meus 2 blogs.
Meus beijinhos.

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Fernandinha, belo texto sobre os moinhos de vento do Faial...Grande Património que deve ser preservado !
Beijos

poetaeusou . . . said...

*
ao vento, do vento,
nos moinhos,
as pás do vento,
giram, giram,
sem parar,
na corrente,
do rio que corre,
decorrente
nos moinhos das marés,
no vai e vem do mar,
,
conchinhas
,
*

xistosa said...

Voltei só para verificar se os moinhos funcionavam ...

Rosa said...

Na minha singular opinião, os mais bonitos moinhos de vento que existem, são sem dúvida os moinhos de vento do tipo holandês ou de São Miguel. São moinhos altos, esbeltos, esguios e coloridos, bastante potentes, normalmente situados nos cumes mais altos das colinas, relativamente perto dos povoados a eles próximos, e ao mesmo tempo, emprestando um ar bucólico a toda a natureza a eles envolvente, sendo uma marca de que a energia eólica era sem dúvida aproveitada para a criação de um bem essencial na economia açoriana, a farinha.

Não sei se os moinhos de vento do Faial terão mesmo origem holandesa, visto uma vez que os moinhos de origem holandesa são os das ilhas de Santa Maria, São Miguel e Graciosa. Penso que os moinhos do Faial, são uma variante dos típicos moinhos de vento holandeses ou de São Miguel, embora diferentes.

Os restantes moinhos de vento das outras ilhas açorianas, verdade seja dita não são assim lá muito interessantes, pois todos denotam influências continentais, mediterrânicas ou até mesmo árabes, como é o caso dos moinhos de vento da mais pequena ilha dos Açores, o Corvo.

As ilhas açorianas que têm o característico moinho de vento do tipo holandês ou de São Miguel, são as ilhas de Santa Maria, São Miguel e Graciosa.
Ao contrário do que muita gente pensa esses moinhos de vento eram diminutos na ilha da Graciosa e bastante mais numeros nas ilhas mais a oriente, ou seja, São Miguel e Santa Maria.

Nestas duas ilhas eram eles que predominavam na paisagem. Hoje, a maior parte deles estão deixados ao abandono e alguns em total estado de degradação, o que não acontece na ilha da Graciosa onde foram uma maior parte deles recuperados.
Tem-se uma ideia errada que o moinho de vento do tipo holandÊs ou de São Miguel, só existe na ilha Graciosa, o que é falso.
Se repararem e pesquisarem mais sobre o tema em questão, depressa irão se aperceber que as ilhas de Santa Maria e de São Miguel foram as pioneiras e as que mais moinhos de vento do tipo holandês ou de São Miguel tiveram. Apenas hoje em dia esse facto é remetido ao esquecimento, porque nessas 2 ilhas preferiu-se deixar os moinhos ao total abandono, o que já não aconteceu na Graciosa, daí que a Graciosa, erradamente ou não, seja hoje conhecida como a ilha dos Açores que mais moinhos de vento dessa tipologia ou natureza comportaram.

O que é de facto importante, é uma rápida e total salvaguarda na intervenção desse nosso património mariense e micaelense, pois é a partir de uma correcta e coerente intervenção do estado na conservação desses imóveis preciosos que se poderá novamente trazer ao presente a marca do nosso património singular, associado a uma oferta turística a quem visita as ilhas orientais do arquipélago dos Açores, Santa Maria e São Miguel.

Bem haja a todos.