Friday, December 14, 2007

Mulher oprimida

Oh! Mulher oprimida e triste,
Não temas mais o teu mundo!
Liberta-te, luta e persiste!
Não continues em choro profundo!

És margarida pálida, sem luar,

Crê numa
vida com sorriso,
Descobre a essência do teu ser,
Mas não te iludas com o paraíso:
Aceita-te e constrói-te para viver!




Lamuriosa, na neve soterrada,
Prisioneira, de agonia no olhar,
De solidão silenciosa inundada.

Tu, ave graciosa, de asas feridas,
Taciturna, em bosque de nevoeiro,
Acossada, de ambições perdidas,
Levanta o teu voo, sai do cativeiro!


Fernanda

8 comments:

poetaeusou . . . said...

*
pasmante . . .
,
fernandinha
,
conchinhas
*

Bento said...

Sou filho de uma mulher lutadora, e entristece-me que ainda aja tantas mulheres oprimidas no mundo...

A. Jorge said...

Infelizmente há muitas mulheres a quem dedicar este maravilhosi poema!

Um beijo

Jorge

http://vagabundices.wordpress.com/

David said...

Libertem-se mulheres... cortem as amarras, assumam que são livres e lutem para nunca mais ninguém as mantenha em cativeiro...

Um beijinho

gaivota said...

muito lindo, minha amiga, hoje quase me sinto assim...
beijinhos

Um Momento said...

Belo este teu poema á mulher...

Deixo um beijo com o desejo de um Santo e Feliz Natal

(*)

marias said...

E precisamos voar para nos encontrarmos!...

Mais uma descoberta:)))))


Beijinhos

Brancamar said...

Poema-reflexão e um alerta importante para todas as mulheres! É por vezes difícil nesta sociedade essa libertação, mas temos que continuar a lutar, sem baixar os braços.
Um beijinho grande para ti.